(Carla Patrícia – coordenadora do Grupo de Apoio à Prevenção da Aids do RS e socióloga)


A exposição da socióloga Carla Patrícia trouxe uma reflexão crítica acerca do caráter simbólico do lugar que a mobilização social e o engajamento ocupam no universo da pesquisa em tuberculose, no qual ainda predomina o discurso da área biomédica em detrimento das abordagens qualitativas, que pensam o sujeito de forma mais integrada e suas especificidades.

Se faz necessário um exercício para perceber que os Centros Comunitários de Acompanhamento em Pesquisa (CCAPs) e os ativistas somente são considerados um braço importante na construção dos processos quando são uma exigência do financiador. Fora isso, têm sido interpretados como "algo" que pode atrapalhar, pois trazem novas perspectivas e formas de fazer a serem considerados. Para Carla, há uma compreensão frágil dos pesquisadores quanto ao papel destes atores nas experiências já vivenciadas, além da prática de uma relação de poder verticalizada. Em geral, entende-se que eles terão uma função operacional e não a de soma dos saberes que cada um pode integrar à pesquisa.

Outro ponto destacado como desafio a ser pensado é que, apesar de no cotidiano a tuberculose ainda ser negligenciada e, por isso, ter uma associação muito forte com os determinantes sociais em saúde, as soluções seguem cada vez mais no caminho da medicalização, como se o remédio fosse a resposta única para a doença, o grande salvador.

Baixe o material das palestras

Dia 22

Alexandre Almeida - Biomarcadores

Alexandre Costa - Q3 - Fiocruz -PR

Annika Sweetland TB Depression

Claudete Araujo Biomarcadores

Denise Arakaki -22-06-2017

Delia Boccia Presentation

Elis Regina Epidemio Molec RS

Elena Lassouskaya

Erica Chimara Xpert SP

Ethel Maciel Epidemio Molec

Fatima Fandinho Xpert

Julio Croda TB em prisoes

Joao_Perdigao_Rede_TB2017

Isabela TB Sprint_

Kleydson_WorkshopREDETB_22.06

Karen Gomes - Infecção Mista - Fiocruz

Leo Ribeiro - Estudos in vitro

Leonardo Santana Baiha

Mayla Melo Biomarcadores Neutrofilos

Monica Kramer

Regina Barcelos - Biometrix

Silvana Spindola KitSIRE_Custo

Tonya Duarte Epidemio Mol BA

 

Dia 23

Afranio Kritski TB  Consultorio de Rua

Anna Crisitina - Karina - TB e Depressão

Camila Guindalini - Conhecimento

CamilaDonnola - Homeless - TB

Cristina Pessoa - Segurança - Gestão Qualidade

Denise Rossato - TB DM - MIF

Domingos Alves- Informatização

Edna Ferreira Politicas de Saude

Elisangela Silva - Biomarcadores TB Desnutrição

Fabio Mota Mapeamento BRICS

Janaina Leung - Abordagem Contatos

Luiz Evora - TWIST Systems - Escore TB MDR

Luiz Ricardo - Mobile Technologies

Margareth Dalcolmo - TB MDR Esquemas terapeuticos

Miriam Cohen Gestao Qualidade

Naomi Komatsu PACTU

Pedro Eduardo Almeida da Silva WORKSHOP RIO 2017

Rafael Galliez - Modelo para retirar do Isolamento Respiratório

Raquel Coelho - Papel do CNPq - Pequisa em TB

Sueli Alves Silva - Incorporação Tecnologias

Valeria Rolla - Toxicidade e interação farmacologica em TB-HIV

Sobre a REDE-TB

A Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose (REDE-TB) é uma Organização Não Governamental (ONG) de direito privado sem fins lucrativos, preocupada em auxiliar no desenvolvimento não só de novos medicamentos, novas vacinas, novos testes diagnósticos e novas estratégias de controle de TB, mas também na validação dessas inovações tecnológicas, antes de sua comercialização no país e/ou de sua implementação nos Programa de Controle de TB no País.


bt2

Contato

E-mail: redetb.rp@gmail.com

Tel: +55 (21)3938 - 2426
Tel/ Fax: +55 (21)3938 - 2431.

Endereço: Avenida Carlos Chagas Filho, 791, Cidade Universitária - Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, RJ - Brasil. CEP: 21941-904

Assine a newsletter da REDE-TB

Curta REDE-TB no Facebook