(Anikka Sweetland – Universidade de Columbia)


Aproximadamente metade das pessoas com tuberculose tem depressão. E a tuberculose pode causar depressão assim como a depressão pode causar tuberculose. O estudo desenvolvido pela pesquisadora Annika Sweetland busca compreender como se dá a relação entres as duas enfermidades e o fator pobreza, por meio do novo marco teórico denominado Syndemic, e pensar formas de melhor diagnosticar e tratar estes pacientes.

Um quadro é considerado sindêmico quando duas ou mais condições de naturezas biológica e social (vulnerabilidade e constrangimentos sociais, aspectos nutricionais, efeitos secundários do próprio tratamento, etc) atuam sinergicamente para piorar a enfermidade. Nesse caso, os resultados costumam ir no mesmo caminho: fracasso e abandono do tratamento, resistência à medicação, transmissão da doença a terceiros e morte.

 

A pesquisa levanta quais as necessidades e os problemas, práticas, protocolos e a receptividade dos programas de controle de TB em mais de 25 países para integrar o tratamento da depressão ao da tuberculose. Em entrevistas, coordenadores disseram que a barreira mais frequente é a falta de capacitação e a maioria concorda que a integração é muito provável. Esse retorno vai ao encontro da estratégia da OMS.

Um grupo de trabalho da pesquisa também busca levantar junto a pacientes e pesquisadores o que está e o que não está funcionando para criar uma base de evidências práticas, que podem ser incluídas num guia para os programas de controle de TB.

Baixe o material das palestras

Dia 22

Alexandre Almeida - Biomarcadores

Alexandre Costa - Q3 - Fiocruz -PR

Annika Sweetland TB Depression

Claudete Araujo Biomarcadores

Denise Arakaki -22-06-2017

Delia Boccia Presentation

Elis Regina Epidemio Molec RS

Elena Lassouskaya

Erica Chimara Xpert SP

Ethel Maciel Epidemio Molec

Fatima Fandinho Xpert

Julio Croda TB em prisoes

Joao_Perdigao_Rede_TB2017

Isabela TB Sprint_

Kleydson_WorkshopREDETB_22.06

Karen Gomes - Infecção Mista - Fiocruz

Leo Ribeiro - Estudos in vitro

Leonardo Santana Baiha

Mayla Melo Biomarcadores Neutrofilos

Monica Kramer

Regina Barcelos - Biometrix

Silvana Spindola KitSIRE_Custo

Tonya Duarte Epidemio Mol BA

 

Dia 23

Afranio Kritski TB  Consultorio de Rua

Anna Crisitina - Karina - TB e Depressão

Camila Guindalini - Conhecimento

CamilaDonnola - Homeless - TB

Cristina Pessoa - Segurança - Gestão Qualidade

Denise Rossato - TB DM - MIF

Domingos Alves- Informatização

Edna Ferreira Politicas de Saude

Elisangela Silva - Biomarcadores TB Desnutrição

Fabio Mota Mapeamento BRICS

Janaina Leung - Abordagem Contatos

Luiz Evora - TWIST Systems - Escore TB MDR

Luiz Ricardo - Mobile Technologies

Margareth Dalcolmo - TB MDR Esquemas terapeuticos

Miriam Cohen Gestao Qualidade

Naomi Komatsu PACTU

Pedro Eduardo Almeida da Silva WORKSHOP RIO 2017

Rafael Galliez - Modelo para retirar do Isolamento Respiratório

Raquel Coelho - Papel do CNPq - Pequisa em TB

Sueli Alves Silva - Incorporação Tecnologias

Valeria Rolla - Toxicidade e interação farmacologica em TB-HIV

Sobre a REDE-TB

A Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose (REDE-TB) é uma Organização Não Governamental (ONG) de direito privado sem fins lucrativos, preocupada em auxiliar no desenvolvimento não só de novos medicamentos, novas vacinas, novos testes diagnósticos e novas estratégias de controle de TB, mas também na validação dessas inovações tecnológicas, antes de sua comercialização no país e/ou de sua implementação nos Programa de Controle de TB no País.


bt2

Contato

E-mail: redetb.rp@gmail.com

Tel: +55 (21)3938 - 2426
Tel/ Fax: +55 (21)3938 - 2431.

Endereço: Avenida Carlos Chagas Filho, 791, Cidade Universitária - Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, RJ - Brasil. CEP: 21941-904

Assine a newsletter da REDE-TB

Curta REDE-TB no Facebook